Blog

Maioria dos portugueses defende reestruturação da dívida

Posted by Manifesto dos 74 on May 3, 2014 at 1:00 PM


A maioria dos portugueses que teve conhecimento do chamado manifesto 74 revê-se no apelo que aí é feito à reestruturação da dívida. Segundo uma sondagem da Aximage, realizada para o Negócios e para o “Correio da Manhã”, quase dois terços dos portugueses defendem o documento.

Assinado por um conjunto de personalidades muito heterogéneas entre as quais se destacaram João Cravinho, Bagão Félix e Francisco Louçã, o manifesto causou forte polémica na sociedade, suscitando uma reprovação violenta da parte do Governo. Em concreto, o manifesto defende a reestruturação da dívida pública que supera o limiar dos 60%, com uma redução da taxa média de juro e um alongamento dos prazos de pagamento. Se 63,3% dos portugueses concordam, há 31,3% que, pelo contrário, se opõem ao que aí é proposto. Só 5,4% dizem não ter opinião definida. Significativo é o facto de quase metade dos portugueses não terem conhecimento do manifesto. São 48,5% dos inquiridos, percentagem que pouco muda independentemente das preferências políticas dos eleitores. Os eleitores do CDS são a excepção: apenas 31% dizem desconhecer o documento. Eleitores do PSD contra manifesto Analisados os dados por segmentos partidários, os eleitores do PSD destacam-se pela rejeição do manifesto: apenas 25% o defende, contra 92,3% entre os votantes no BE, 85,1% da CDU e, curiosamente, 84,5% do CDS, partido minoritário que integra o Governo. O apoio à reestruturação da dívida tende a aumentar com o nível de escolaridade, sendo mais evidente nas cidades, na região Litoral Norte e entre os portugueses com menos de 45 anos. O manifesto deu lugar entretanto a uma petição ao Parlamento, que reuniu cerca de 35 mil assinaturas, onde se reclama “uma resolução recomendando ao Governo o desenvolvimento de um processo preparatório tendente à reestruturação honrada e responsável da dívida”.


Jornal de Negócios

Categories: None


Comments are disabled.

Oops! This site has expired.

If you are the site owner, please renew your premium subscription or contact support.